Era só eu e ele e nada mais importava no mundo [parte 3/3]

15:10:00



Não houve beijo, abraço, nova chance. Era uma amizade mais colorida que o próprio arco-íris, e eu não sabia como passar disso, parecia que era algo mais quando quase nada tinha. Eu cavei minha cova e lá mesmo me enterrei.

Eu só queria ser feliz, mas sei que eu mesma não me deixo ser. Tenho que aprender a me amar primeiro, a me querer, a me desejar o melhor, não posso me entregar quando nem eu mesma me tenho por inteira, nem eu sou o amor da minha vida.

Já estava decidida a me trancar na mais alta nuvem, ficar olhando lá de cima os doces mortais a se deliciar em suas próprias decepções e me acostumar a ser só tão quanto o dia que nasci. Mas ele bateu na porta insistentemente e nesse dia eu abri, entrou sem pedir permissão e foi falando antes que eu tivesse chance de interromper.

Disse que não entendia o porquê de eu estar assim, que não fazia sentido um dia eu ser alguém amigável e no outro uma pessoa amarga e ridícula. Que sentia minha falta muito mais do que eu era capaz de imaginar, nada mais nesse mundo ele queria do que estar do meu lado e poder rir da ganância dos poderosos junto comigo.

Eu chorei. Ele me abraçou e pediu desculpas por erros que nem chegou a cometer. Falou que sabia que era o culpado daquilo e já sabia até o porquê, era que ele não havia assumido a responsabilidade de homem e feito um compromisso sério comigo, e foi quando afastou meu rosto de seu ombro e me obrigou a olhar aqueles olhos castanhos.

Fiquei parada respirando com dificuldade e pedindo a Deus para ele não me beijar porque provavelmente eu não o afastaria e o beijaria de volta. E ele me disse que era cedo para falar aquilo, mas que o coração dele não escolheu o tempo certo e que me amou, e que me amava até mais que conseguia se lembrar de amar a si mesmo, eu estava em cada um de seus pensamentos, me queria para toda a vida e que eu devia não somente ser sua namorada, mas além disso, pediu que eu o aceitasse como futuro marido.

Eu protestei, disse que tudo aquilo não passava de mentira, que era uma brincadeira sem graça e que nunca o perdoarei por me enganar assim. Ele me abraçou mais forte e me chamou de louca, e eu voltei a desmoronar e disse entre lágrimas que eu não era boa o suficiente para ele, não fazia o menor sentido ele me amar, ninguém nunca amou então era mentira ele conseguir isso.

Ele me respondeu com calma e com paciência escolheu cada palavra.
– Deus afastou de você todos aqueles que podiam te causar algum mal, por isso até agora ninguém conseguiu te conquistar, porque ninguém poderia ser capaz de te amar como você merece ser amada. E eu estou aqui porque chegou o momento certo, eu sei que posso parecer muito confiante ao me autodeclarar a pessoa por quem você sempre esperou. Mas eu não consigo ver nossa situação de outra forma, era para ser e por isso estou aqui te pedindo para me deixar entrar na sua vida e te fazer feliz.

Não deu outra, a gente se beijou. Minutos depois meu pai chegou, eles conversaram e posso dizer que Deus sempre me surpreende com o melhor, e não deixou que o medo me inundasse e me fizesse perder a minha única oportunidade de felicidade. Ás vezes pessoas vem para nos machucar, em outras elas vem para nos sarar, e ele foi minha cura, e por mais improvável que seja eu aceitei que por mais que o meu eu não fosse bom para mais ninguém, era perfeito para ele, só para ele. 

FIM. 
Última parte. 

Leia também a parte 1 e a parte 2 

P.S: Se puder, e quiser, deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa. Vou adorar receber <3

Escrito por: Tatielle Katluryn

Outros textos para você ler

0 comentários

Você compraria meu livro?

Postagem em destaque

Quando todos se vão Deus permanece e cuida da menina que foi deixada para trás

Ela é aquela que fica quando todos por algum motivo decidem ir embora. Ela sempre fica e se pergunta o que fez de errado para isso ac...