Eu me perdi na bagunça dele

18:48:00


Era obvio que eu queria e merecia um oceano, mas o cara como todo idiota me deu apenas um copo meio cheio, dizendo que era tudo o que poderia fazer por mim. Não entregou a mim nem a sua metade mais estupida, me encheu de restos seus, mas eu como toda idiota me entreguei por inteiro a ele, o melhor que eu tinha era dele, e por isso acabei ficando oca já que me esvaziei para sobrar espaço para ele morar em mim. O meu arrependimento maior é esse: ter visto tanto onde não havia nada.

No começo, ele havia me avisado que não estava disposto a se apaixonar por mim porque sabia que isso daria sérios problemas, que queria apenas ficar feliz ao meu lado sem drama sentimental, somente sorrir entre beijos, dormir aquecido durante a noite se eu o deixasse entrar escondido no meu quarto, falar de coisas que não conseguia dizer a mais ninguém, ser meu amigo antes de qualquer coisa, e falou mais coisa enquanto eu ouvia ansiosa tudo aquilo sair da boca dele.

Eu me perdi na bagunça dele, pois o seu coração era um labirinto no qual não havia saída, acabei ficando tonta ao rodar em círculos em suas dúvidas sobre o amor, e nada que eu fazia era o bastante para me livrar da maldição de cair em seus braços e não querer que ele me soltasse, desse modo, não sabia mais para onde eu estava indo somente queria que ele estivesse do meu lado em qualquer obstáculo que eu enfrentaria.

Já era tarde demais quando tentei sair do meio da lama, e minhas tentativas de me afastar eram frustradas porque o sorriso dele me puxava sempre que eu ameaçada fugir. Ele sabia que aquilo era errado, eu também sabia, mas deixamos fluir, por mais que a culpa me corroesse, que o medo me dominasse, eu fui me afundando cada vez mais nos beijos dele e era inútil dar um basta porque eu o queria e ele dizia que tudo iria ficar bem, e claro, eu acreditei.

Mas ao final ele estava inteiro enquanto eu tentava encontrar meus pedaços onde havia me perdido. Nunca haverá nada pior do que saber que ele não se importava de verdade, que tudo era um jogo macabro para saber até onde eu iria aguentar, se eu de fato iria longe em nome do amor besta que eu dizia sentir por ele. Eu sempre dizia que o amava e ele nada respondia, desde aí eu já devia ter ido embora, porém escolhi ficar porque a saudade não me consolaria da falta que ele iria fazer.

Eu já fiquei em frente ao espelho e repeti a palavra burra milhares de vezes, mas nunca foi o suficiente para me convencer da minha própria estupidez por ter deixado isso acontecer. 


Trecho do livro: Ela Já Foi Verão

Escrito por: Tatielle Katluryn

Outros textos para você ler

1 comentários

  1. Me indetifiquei mt kk
    Muito bom ����

    ResponderExcluir

Você compraria meu livro?

Postagem em destaque

Quando todos se vão Deus permanece e cuida da menina que foi deixada para trás

Ela é aquela que fica quando todos por algum motivo decidem ir embora. Ela sempre fica e se pergunta o que fez de errado para isso ac...